28/05/2010

Líder Paraná e Coxa vencem novamente

Paraná Clube e Coritiba estão fazendo bonito da Série B do Campeonato Brasileiro, pois ambos venceram na rodada de hoje da competição. Em Arapiraca, o Coxa enfrentou o ASA e ganhou de virada por 2x1, com gols de Rafinha, aos 18" e Ramon, aos 41", ambos no tempo final, enquanto que o time alagoano saiu na frente com Rincon, aos 14" da mesma etapa. Com o triunfo, o Coxa saltou para a 7ª colocação, com oito pontos.
Em Curitiba, depois de muito tempo ausente, a torcida paranista voltou em grande número à Vila Capanema, no total de 7.375 torcedores, para apoiar o Tricolor, que manteve os 100% em casa, ao vencer o Vila Nova, por 1x0. O gol da vitória foi anotado por João Paulo, aos 18" da etapa final. Com o resultado, o time assumiu a ponta da classificação, com doze pontos ganhos, trazendo depois de muito tempo, uma imensa alegria a sofrido torcida tricolor.

27/05/2010

Torcida atleticana à espera de uma grande notícia: Um treinador de "verdade"

A torcida atleticana está contando nos dedos as horas para que a diretoria atleticana anuncie outro treinador, para substituir Leandro Niehues, tido pelos torcedores como um dos piores técnicos dos últimos anos que passou pelo Furacão. Leandro conseguiu algumas “proezas” como errar nas substituições em quase todos os jogos que dirigiu o time e ainda criar atritos com mais da metade dos jornalistas que cobrem o Atlético, principalmente pela sua arrogância ao estilo Emerson Leão. Costumeiramente, Leandro coloca a culpa pelas derrotas sobre os jogadores, mas quando o time vence, ele se gaba como o “cara” responsável pelos resultados positivos.
Na coletiva de imprensa, de acordo com o site Furacão.com, Leandro tentou desconversar sobre os seus erros nas substituições e outra vez “fugir” da conversa pelo fraco futebol apresentado pelo Atlético no 2x1. “Pela cobrança, parece que a gente perdeu. A gente entende a cobrança da torcida, entende o momento. Mas o futebol está nivelado, é um perde e ganha danado. Mas é evidente que a cobrança aqui no Atlético é maior", falou. "A partida estava controlada. Evidente que a torcida queria que fosse pra cima fazer 3 ou 4a0. Mas se vai de qualquer jeito, perde a bola e toma o gol, iam cobrar. É o preço que a gente paga pelo momento que o time está passando”, finalizou.
Como já vem sendo noticiado, a diretoria atleticana procura um treinador de nome, e por enquanto estão no “páreo” Tite, Paulo César Carpegiani e Andrade.

Fotos e Texto de Osmar Rebolo Junior


Nunca mais a torcida atleticana terá que ver Leandro Niehues no comando do Atlético?


Geninho, treinador do time goiano, foi muito ovacionado pelos atleticanos, além de comandar o Furacão no maior título do clube, em 2001, também é exemplo de profissionalismo em todas as equipes em que trabalha

No sufoco, Atlético vence a primeira

Time construiu a vitória ainda no tempo inicial, mas depois levou pressão
O Atlético finalmente venceu a primeira partida no Campeonato Brasileiro, entretanto mais uma vez, assustou bastante a torcida, que sofreu para sair da Baixada, comemorando a vitória de 2x1 sobre o Atlético Goianiense. O jogo pode ter sido o último do péssimo treinador Leandro Nieuhes.

Inicio sonolento, seguido de quinze minutos de grande futebol e no final, pressão do adversário
A partida de hoje à noite entre os Atléticos, teve de tudo um pouco. O jogo começou sonolento, e seguiu sendo muito ruim até os 19 minutos, quando o Atlético Paranaense “acordou” em campo, fazendo o primeiro gol da partida. Paulo Baier cobrou uma falta pela esquerda, Chico atrapalhou o goleiro e bola entrou direto. Durante os minutos seguintes, o Furacão pressionou muito, inclusive marcando o segundo gol, aos 33”, quando Wagner Diniz, tabelou com Alex Mineiro e recebeu novamente, até chutar no ângulo. O Rubro-Negro ainda teve mais duas grandes chances, com Bruno Mineiro e Alex Mineiro, que pararam nas boas defesas do goleiro Édson.
Na segunda etapa, começou o tão freqüente terror que o Atlético tem passado os últimos jogos, quando Elias acertou a trave do goleiro Neto, que na etapa inicial já tinha feito uma grande defesa.
Aos 12 minutos, Keninha (que está sendo observado pelo diretor de futebol atleticano, Ocimar Bolicenho) fez falta violenta em Wagner Diniz e foi expulso. Aos 27 min, o lateral acabou sendo expulso depois de levar o segundo cartão amarelo, pelo fraco árbitro Cláudio Marcante, em um lance em que o jogador derrubou Márcio Gabriel na área. Na cobrança, Elias descontou. Minutos antes, o árbitro deixou de marcar um pênalti claro em cima do mesmo Wagner e ainda o aplicou o 1º amarelo.
Nos quinze minutos finais, com as horríveis modificações feitas pelo treinador Leandro Nieuhes, a torcida atleticana viu o adversário chegar com Chiquinho, aos 34”, depois Neto fez excepcional defesa em um chute de Robston. Aos 45 min, por pouco os goianos não empataram, quando Juninho chutou de fora da área, Neto fez outra grande defesa e a bola ainda bateu na trave antes de sair.
Logo em seguida, o árbitro encerrou o jogo, em mais uma noite de terror para a torcida atleticana, mas pelo menos desta vez, o Furacão venceu e o treinador Leandro Nieuhes provavelmente fez a última partida sob o comando atleticano.

FICHA TÉCNICA
Atlético 2X1 Atlético Goianiense
Estádio: Baixada
Competição: Campeonato Brasileiro
Árbitro: Cláudio Marcante, auxiliando
Renda: R$ 110.235,00
Público: 10.051 torcedores
Cartões amarelos: Wagner Diniz, Valência e Márcio Azevedo (CAP) e Márcio Gabriel, Welton Felipe, Chiquinho, Ramalho, Keninha e Elias (ACG).
Expulsões: Keninha e Wágner Diniz
Gols: Paulo Baier (19” do 1º tempo), Wagner Diniz (33” do 1º tempo) e Elias (27” do 2º tempo)

Atlético Paranaense: Neto, Manoel, Rhodolfo e Chico; Wagner Diniz, Valencia, Branquinho (Lisa), Paulo Baier (Netinho) e Márcio Azevedo; Alex Mineiro e Bruno Mineiro (Tartá). Técnico: Leandro Niehues.
Atlético Goianiense: Édson, Marcio Gabriel, Welton Felipe, Jairo e Chiquinho; Pituca (Boka); Ramalho, Róbston e Keninha; Juninho e Marcão (Elias). Técnico: Geninho.

Fotos e texto de Osmar Rebolo Junior

26/05/2010

Dupla Paratiba venceu

A rodada do Campeonato Brasileiro da Série B foi excelente para Paraná Clube e Coritiba, que venceram seus adversários na noite de terça feira, na 3ª rodada da competição.
O tricolor segue sendo a sensação da disputa, ao aplicar outra goleada, agora sobre o Duque de Caxias, em Volta Redonda, por 5x1, com três gols de Marcelo Toscano, Irineu e Wanderson, descontando Léo Gado. Com o resultado, o time paranaense alcançou os nove pontos, estando entre os primeiros colocados.
Em Joinville, o Coritiba sofreu, mas passou pelo Brasiliense, ao fazer 2x1. Os gols do coxa foram anotados por Ariel e Triguinho, que fez aos 49º do 2º tempo, descontando Santiago (que tinha sido o gol de empate). Com a vitória, a equipe curitibana soma cinco pontos, na 13ª colocação.

Por: Osmar Rebolo Junior

24/05/2010

Jogando melhor, Internacional empata em São Manoel

No jogo de volta, uma vitória simples classifica o campeão de Campo Largo para a grande final da Taça Pr
Jogando bem melhor do que o São Manoel, o Internacional de Campo Largo empatou em 2x2, o primeiro jogo da semifinal, realizado na cidade de São Manoel (40km de Cianorte). O empate foi considerado um bom resultado, pois além de manter a invencibilidade do time do técnico Ivo na competição, agora o Inter joga por uma vitória simples, para conquistar a vaga na grande final da Taça Paraná/2010.

Inter joga e São Manoel marca
No primeiro tempo, o Internacional foi superior, pelo menos no quesito posse de bola, e só não saiu na frente do placar, porque faltou finalização. Excesso de toques de bola, sem chutes para o gol, esse foi o pecado capital da equipe do Inter. Foram muitas jogadas de ataque, e a bola rondava de um lado para o outro na grande área do São Manoel, mas ninguém conseguia chutar para o gol. O castigo do Inter, pela falta de finalização, veio quase no final do 1º tempo, aos 38 min, quando num dos poucos ataques do São Manoel, após cobrança de falta, o atacante Roni sobe sozinho e de cabeça faz São Manoel 1x0. Mas o gol não abalou o time, que ainda tentou o empate na primeira etapa.

Virada no 2º tempo
No intervalo, o técnico Ivo acertou a equipe, que veio para o segundo tempo determinada a mudar o placar. E foi isso que aconteceu, logo aos 12 min, o meia Nilvano fez o que não conseguiu no 1º tempo, ariscou um chute do meio da rua, e pegou na veia, acertando o ângulo do gol defendido por Bil, empatando a partida.
Depois do gol de empate, o Inter tomou conta de uma vez do jogo, e aos 20 min, após a cobrança de mais um escanteio, Alisson sobe de cabeça e faz Inter 2x1. Após o gol da virada, a equipe do Inter continuou no ataque, buscando o 3º gol, que definiria o placar do jogo, mas veio o descuido da zaga do Inter. Após a cobrança de uma falta da equipe do São Manoel, o goleiro Clodoaldo espalma a bola, e no rebote Silvinho chega antes dos zagueiros e empata o jogo, 2x2. Esse gol acabou esfriando um pouco o ritmo do Inter, e mesmo com as alterações proporcionadas pelo técnico Ivo, que colocou Geraldinho no lugar de Nilvano e Douglas no de Wilian, para dar mais gás no ataque, o Inter não conseguiu o gol da vitória.

Vantagem em Campo Largo
O empate em 2x2, em São Manoel foi considerado um bom resultado, porque agora o Inter joga em Campo Largo, e precisa apenas de uma vitória simples, para disputar mais uma final de Taça Paraná. “O importante é que nos quebramos o serviço da equipe do São Manoel, pois jogamos em casa precisando de vitória simples no tempo normal”, dizia o técnico Ivo depois do jogo.
O árbitro Divaldo Elias da Silva fez uma arbitragem tranqüila e segura, sem muitas reclamações de ambas as equipes. Quase no final do jogo, o ala direito Bruno do São Manoel acabou se contundindo com mais gravidade, e deve ser uma das baixas do time do interior, para o segundo jogo em Campo Largo. Do lado do Inter, apenas Fabinho, que sentiu uma contusão e foi substituído no final do 1º tempo, pode ficar de fora do jogo decisivo deste domingo. O técnico Ivo também terá o retorno dos titulares Ioiô, Raio X e Julianinho.

Internacional – Clodoaldo; Alisson(João Henrique), Guilherme, Paulo Sergio e Anderson; Everson; Marcelo (Everson), Juninho, Fabinho (Ále) e Nilvano (Geraldinho); Moro e Wilian (Douglas); Técnico Ivo Petry.
São Manoel – Bil; Bruno (Manoel), Digão, Marquinhos e Da Slva; Poconé, Éder, Silvinho (João Paulo) e Landerson; Roni (Edilson) e Edu (Edivaldo); Técnico: Junior.


Fotos e texto de Dirceu Maschio

São José empata e ainda não conhece a vitória na Segundona

Tricolor joga bem, mas não passa do 1x1 com o Foz pela 3º rodada da competição
Jogando pela primeira vez no Estádio do Pinhão em 2010, a equipe do São José jogou bem, pressionou, mas amargou apenas um empate contra o forte time do Foz do Iguaçu, pela 3º Rodada do Campeonato Paranaense da Segunda Divisão: 1x1, que deixa o Tricolor com apenas dois pontos ganhos na tabela em nove disputados. A partida, realizada debaixo de chuva na tarde do último domingo (23) teve como principal “atração” o péssimo estado do gramado.

Primeiro tempo sem gols
São José e Foz do Iguaçu entraram em campo procurando se conhecer. Depois de muito toque de bola, as equipes resolveram atacar. O Tricolor, jogando em casa, era quem mais buscava a iniciativa. Os atacantes Silvio, pela direita, e Josimar, pela esquerda, levavam bastante perigo à meta defendida por Cleverson.
Com o campo tomado pela lama, os dois times foram prejudicados na qualidade da condução e do toque de bola. Restava, então, apelar para as bolas paradas. E a grande chance dos anfitriões na primeira etapa veio em uma bela cobrança de falta de Danilo. O camisa 7 do São José colocou uma curva impressionante na bola, que beijou o travessão do Foz do Iguaçu. No rebote, nenhum jogador do Tricolor conseguiu aproveitar.

Segundo tempo: mais chuva e emoção em campo
Na base da raça, as equipes voltaram para o segundo tempo com muita determinação em busca do resultado positivo. O técnico Célio Veloso trocou o volante Marllos pelo meia-ofensivo Massai. A substituição deu certo e o São José abriu o placar. E com o dedo do treinador. Foi de Massai o primeiro gol do Tricolor no Estádio do Pinhão em 2010.
Com a insistente chuva que não parava na região metropolitana de Curitiba, a vontade continuava sendo o principal ingrediente do jogo. Jogadas fortes e de muita vibração eram a tônica da partida. E para tristeza da torcida da casa, o Foz empatou o duelo. E desta vez foi à estrela do treinador Nunes que brilhou: Alagoano, que havia acabado de entrar em campo pôs números finais ao confronto: São José 1x1 Foz do Iguaçu
Na próxima rodada o Tricolor encara o Pato Branco fora de casa. Já o Foz do Iguaçu recebe a Portuguesa Londrinense. Os jogos serão no próximo domingo (30).

Ficha Técnica
São José 1x1 Foz do Iguaçu
Estádio Municipal do Pinhão
Renda: R$ 350,00
Público: 48 torcedores
Gols: Massai para o São José; Alagoano para o Foz do Iguaçu
Arbitragem: Fábio Marcos Toccante, auxiliado por Marcos Antonio Fernandes e Sidnei Eduardo Rodrigues
São José: Rodolfo, Washington, Alex (Rodrigo), Marcão, Tiago; Marllos (Massai), Danilo, Willian, Narciso; Silvio e Josimar (Gilberto). Técnico: Célio Veloso.
Foz do Iguaçu: Cleverson, Wallison, Índio, Mario, Nelsinho; Davi (Martins), Bruno, Brito, Victor (Alagoano); Gilmar (André) e Pequi. Técnico: Nunes


Texto e fotos de Renato Becker

Teinador Célio Veloso gritou bastante a beira do gramado no
empate do São José com o Foz do Iguaçu












Uniformes das duas equipes ficaram pretos devido a lama no
gramado do Pinhão



Silvio, camisa 9 do São José, deu bastante trabalho para a
defesa adversária



Jogo foi bem disputado e debaixo de muita chuva na cidadade de
São José dos Pinhais



Danilo, do São José, acertoou o travessão do goleiro Cleverson
em uma bela cobrança de falta

Favoritos perdem na primeira partida das semifinais

Nacional e Juventude largam na frente na briga pela decisão
Ana Terra e Santa Cruz, melhores equipes da fase de classificação do Campeonato Quarentinhas de Colombo, perderam as primeiras partidas das semifinais para Nacional e Juventude, respectivamente, no último domingo (23), no Estádio Beira Rio. Agora, Tricolores e Alvis-anis têm a vantagem do empate para as partidas de volta, que acontecerão no próximo dia 30, no Estádio Zacarias Cássio de Souza. A grande final acontece em jogo único, no dia 06 de junho, no Estádio Municipal Lordes Geraldo.

Ana Terra tomba diante do Nacional
Na primeira fase do Campeonato Quarentinhas de Colombo o Nacional já havia dado bastante trabalho ao Ana Terra. Na ocasião, empate por 1x1 e fim dos 100% de aproveitamento do Azulão. Pela primeira partida das semifinais, resultado ainda pior: 2x1 para o Tricolor e quebra da invencibilidade do time comandado por Bacana na competição.
Precisando do resultado positivo para reverter à vantagem do adversário, o Nacional se impôs desde o ínicio. Kiko abriu o placar para o Tricolor ainda na primeira etapa. Antes do intervalo, Davis empatou para o Azulão. Mas, no segundo tempo, Serginho marcou e pôs números finais ao duelo: Nacional 2x1 Ana Terra. Para avançar, o Azulão precisa vencer por um gol de diferença. Empate ou nova vitória do Nacional classificam o time treinado por Ciro para a decisão.

Juventude derrota Santa Cruz e põe um pé na final
Precisando vencer, o Juventude repetiu o ímpeto do Nacional contra o Ana Terra e partiu para cima do favorito Santa Cruz. Com o campo bastante enlameado, a equipe alvi-anis pressionou o leve time alvinegro desde o ínicio. E a equipe treinada por Binho saiu no lucro com o placar zerado do primeiro tempo.
Porém, na segunda etapa, a pressão continuou e o Juventude conseguiu uma importante vantagem para o segundo jogo. Aos 9’ França abriu o placar. Romário, aos 22´, decretou números finais à partida: Juventude 2x0 Santa Cruz. Agora, o time azul e branco treinado por Ademir pode perder o segundo jogo por um gol de diferença que fica com a vaga.

Ficha TécnicaJuventude 2x0 Santa Cruz
Estádio Beira Rio
Gols: França e Romário
Arbitragem: André Eduardo Fey, auxiliado por Cristian Eduardo Gorski da Luz e Jefferson Cleiton Piva da Silva
Juventude: Marcão, França, Kim, Mariozan, Dionga; Berti, Romário, Ilan, Lucas; Marreco e Carlinhos. Técnico: Ademir
Santa Cruz:
Sérgio, Zé Elias, Bilu, Dunga, Tuia; Gel, Carlinhos, Neto, Lima; Renato e Omar. Técnico: Binho.


Fotos e texto de Renato Becker

Favorito, Santa Cruz perdeu para o Juventude e se complicou para
o jogo de volta



Juventude surpreendeu e conseguiu uma importante vantagem no
duelo contra o Santa Cruz



Jogadores do Nacional comemoram com torcida a vitória por 2x1
contra o Ana Terra










Artilheiro Omar, do Santa Cruz, passou em branco no jogo do
último domingo

23/05/2010

Atlético: Já é tempo de contagem regressiva para o rebaixamento?

Com um ponto em três jogos, torcida está muito preocupada com o futuro na Série A
Depois de mais uma derrota no Campeonato Brasileiro e um total de sete jogos sem vencer, o torcedor atleticano se pergunta: É possível acreditar que este time irá escapar do rebaixamento da competição, daqui a 35 rodadas?. No Mineirão, o time paranaense não mostrou nenhum fator positivo diante do Atlético Mineiro, que venceu com muita tranqüilidade por 3x1.

Furacão foi o de sempre: Um time horrível em campo
O Atlético Paranaense entrou visivelmente preocupado em não levar e nem um pouco interessado em marcar gol, já que começou o jogo com o “covarde” 3-6-1, introduzido pelo treinador Leandro Niehues.
Mais na base da sorte do que juízo, no tempo inicial a tática deu certo, pois o Atlético Paranaense suportou os poucos momentos de pressão do time da casa, enquanto que não deu um chute perigoso no gol rival. O goleiro Neto também foi importante ao fazer uma grande defesa, aos 30”, no chute de Diego Tardelli.
No tempo final, o Atlético não teve a ajuda da sorte e a mediocridade mostrada em campo foi fatal para a derrota. Aos 11”, Muriqui acertou um chute dentro da área. O segundo gol, saiu aos 13”, quando completamente livre, Diego Tardelli ampliou. O 3º gol saiu dos pés de Ricardinho, aos 27 min.
Antes de terminar o vexame, o fraco Bruno Mineiro “achou” um gol aos 38”, ao ficar sozinho na frente do goleiro, em que era impossível perder o gol.
Depois do 3x1, o Atlético tentará vencer a primeira partida na competição, diante do Atlético Goianiense, na Baixada, na quinta feira, às 21h.

Ficha Técnica
Atlético Mineiro 3x1 Atlético Paranaense
Local: Mineirão
Arbitragem: Sálvio Spinola, auxiliado por Carlos Augusto Nogueira e João Nobre Chaves
Advertências: Diego Tardelli, Correa e Jairo Campos (todos do mineiro)
Gols: Muriqui, aos 11”, Diego Tardelli, aos 13” e Ricardinho, aos 27”, descontando Bruno Mineiro, aos 38”. Todos na etapa final.
Atlético Mineiro: Marcelo; Coelho, Werley, Jairo Campos e Evandro; Zé Luís (Júnior), Fabiano, Correa (João Pedro) e Ricardinho (Benítez); Diego Tardelli e Muriqui.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
Atlético Paraanense: Neto; Manoel, Rhodolfo e Chico; Wagner Diniz, Alan Bahia (Netinho), Valencia, Paulo Baier (Javier Toledo) e Márcio Azevedo; Branquinho e Alex Mineiro (Bruno Mineiro). Técnico: Leandro Niehues.


Texto e fotos de Osmar Rebolo Junior



Leandro Nieuhes mais uma vez foi covarde ao armar um time retrancado



























Bruno Mineiro achou um gol no final do jogo

















Neto pouco pode fazer para evitar os três mineiros

Urano vence e fica em vantagem diante do Colombo

Com o resultado de 2x1 na Vila São Pedro, o azulão precisa de um empate para se garantir na final
O Urano levou a melhor no jogo de ida da semifinal da Taça Paraná, diante do Colombo, ao vencer o em casa o rival da região metropolitana por 2x1, que garantiu ao atual campeão da competição, o direito de jogar por um simples empate no confronto decisivo, na casa do Colombo, onde o quadro treinado por Ziquita venceu todas as partidas que disputou na Taça Paraná.

Emoção somente no tempo final
O tempo inicial foi muito ruim, pois com o gramado pesado e ainda a forte garoa que caiu durante os 45 minutos iniciais, a partida ficou muito parada com os lances laterais, locais em que a grama ainda tinha boas condições. Sentindo a falta de Greisson (machucado) e Reginaldo Vital (que vindo de contusão, ficou boa parte do jogo no banco de reservas), o Urano só teve uma chance clara de gol, aos 37”, após Salário acertar o travessão em cobrança de falta, no rebote Dirceu chutou para fora. O Colombo também teve apenas um lance de razoável perigo, num chute no começo do jogo, facilmente defendido por Paulão.
No segundo tempo, as coisas mudaram, pois ambos os times resolveram jogar com a categoria que possuem, e o jogo finalmente ganhou emoção.
Aos 15”, o artilheiro da competição, Fábio, abriu o placar para o Colombo. Entretanto, a reação do Urano veio logo em seguida, aos 17”, em uma disputa de bola dentro da área entre Laurinho e Lila, o zagueiro colombense acabou fazendo contra.
O Urano teve a chance de virar aos 30”, com Laurinho, que perdeu um gol feito cara a cara com o goleiro Eron.
Mas aos 38”, Marquinhos sofreu pênalti. Na cobrança, Salário chutou para a defesa do goleiro Eron, mas no rebote, a bola sobrou novamente para Salário, que mesmo caído fez o gol.
Aos 45”, Paulão garantiu o resultado ao fazer duas grandes defesas no mesmo lance, mandando a bola para escanteio.

O Urano jogou com Paulão; Salário, Samuca, Luciano (Elizer) e Joãozinho, Nilson (Reginaldo Vital) e Róbson, Dirceu e Jhon (Feijão), Laurinho e Josney (Marquinhos). No banco: Leone, Bruno e Clé. Técnico: Heraldo.
Já o Colombo postou Eron, Everton, Lila, Taxinha e Xuxa, Cezar e Chapoca (Fininho), Murilo e Elton, Fábio e Mi. Banco: Zequinha, Edinho, Zé Luis, Ricardo, Paulo Roberto, Sil e Fininho. Técnico: Ziquita.
A arbitragem foi de Jarbe Cassou, auxiliado por Sidmar Meuer e Wesley Marmitt.

Jogo da volta
Neste próximo domingo, o Colombo recebe o Urano, às 15h, no estádio Trevisan. O empate no tempo normal garante a classificação ao time curitibano, enquanto que para o quadro colombense, não resta outra alternativa ao não ser vencer o jogo no tempo normal, para decidir a vaga na prorrogação.
Se realmente acontecer este tempo extra é preciso lembrar que de acordo com o regulamento da competição, se houver igualdade em saldo de gols após as duas partidas nenhuma equipe tem vantagem neste tempo extra, entretanto, se o Colombo vencer no tempo normal por mais de dois gols de diferença, passará a ter a vantagem do empate neste tempo.

Texto e fotos de Osmar Rebolo Junior

ENTRE AMIGOS ESPORTES DIVERSÃO PARA TODA A FAMÍLIA

Como parte integrante do Shopping & Sports, o Entre Amigos Esportes conta com toda a estrutura necessária para proporcionar divertimento para você e sua família. O Entre Amigos dispõe de duas das mais modernas quadras de futebol society da região sul do Brasil e duas quadras de futsal e vôlei, que tanto podem ser utilizadas para locação mensal quanto avulsa ou até mesmo realização de torneios e campeonatos.
Enquanto você se diverte jogando, sua família passa o tempo em um lugar agradável para passear, se divertir, fazer compras e desfrutar de boas opções de entretenimento.
Já consolidado como o shopping que traz mais novidades em entretenimento em Curitiba, a cada temporada o público se surpreende com as novidades espalhadas por todo o shopping que une a praticidade do estilo de vida contemporâneo com variadas opções de compras e lazer para todas as idades, o shopping conta com lojas em diversos segmentos como vestuário, informática, eletrônicos, brinquedos, material esportivo e telefonia, além de salão de beleza, jogos eletrônicos, espaço para crianças, academia, cinemas, boliche, uma completa praça de alimentação e muito mais.
No Entre Amigos você pode desfrutar da melhor culinária da cidade tanto no horário almoço onde é servido um completo buffet, como no jantar onde as porções de botequim e os pratos a La Carte são sempre acompanhados por musica ao vivo dos mais variados estilos como: Pop Rock, Mpb e Sertanejo e Moda de Viola.
Além de todas as opções de entretenimento no Shopping & Sports você também encontra o espaço ideal para realização de sua festa ou evento, em sua diferenciada e completa infra-estrutura funcionam salões de festas climatizados e vedados acusticamente que comportam entre 200 e 450 pessoas, com sistema de segurança, amplo estacionamento e buffet.
Todos as quartas e domingos a bola rola não só nas quadras do Entre Amigos, mas também nas TVs, com a transmissão dos principais campeonatos do país ao vivo em payperview. Durante a Copa do Mundo o Entre Amigos prepara muitas surpresas para quem for assistir aos jogos, fique ligado!
O Shopping & Sports abre todos os dias da semana e também nos feriados. Confira!
Endereço: Francisco Derosso, 3488.
Informações: (41) 3045-3535 - www.entreamigosesportes.com.br


ARBESC empatou na semifinal

No primeiro jogo válido pelas quartas de final da Copa Integração a equipe de juniores da ARBESC não passou de um empate em casa contra a equipe do Borda do Campo. A equipe começou muito bem e fez logo 2x0, mas ao longo da partida sentiu a falta de alguns titulares e cedeu o empate. Na partida de volta a ARBESC precisa de uma vitória simples para conseguir a classificação para às semi-finais. Se houver novo empate a vaga sera decidida nas penalidades máximas.
Os gols foram anotados por Daniel e Felipinho.
O Arbesc jogou com Anderson, Guilherme, Marcelo, Denis, Tom (Paiva), Thiago Luz (Thialles), Carneiro, Massay (Gerson), Saulo (Diogo), Daniel e Felipinho.
Técnico: João Paulo Kochan, auxiliado por Pedro Fonseca.

Campeonato de 50tinhas: Vila Fanny vence de goleada e segue entre os primeiros

Equipe fez 4x2 no São Carlos, em Santa Felicidade, com três gols de Marinho
O Vila Fanny goleou fora de casa o São Carlos, pelo placar de 4x2, em partida valida pelo Campeonato de 50quentinhas e se manteve entre os classificáveis da competição, com onze pontos. Marinho foi o destaque com três gols, completando o placar Milton, enquanto que o goleiro Valdir defendeu um pênalti no momento em que o São Carlos foi todo ao ataque esboçando uma reação contra o time fannyense.

Goleada e sufoco no final
O Vila Fanny começou a partida em um gramado pesado por causa das chuvas que caíram na noite de sexta feira em Curitiba, por isso, nos primeiros minutos a bola não rolou muito bem, tanto que os dois times apostaram mais em jogadas pelo alto. Entretanto, o toque refinado do Vila Fanny apareceu quando o gramado secou um pouco, tanto que Milton, em troca de passes, abriu o placar, ainda na etapa inicial.
Após o intervalo, o jogador Marinho voltou “possuído” por alguma força futebolística, pois o craque tocou o terror para cima da defesa do São Carlos, com três gols marcados, fora os outros bons lances que Marinho criou.
Nos minutos finais, foi a vez do São Carlos ficar “doido” pro futebol, pois em cinco minutos diminuiu o placar, com gols de Laco e Assis, e só não se aproximou ainda mais do empate, porque o goleiro do Vila Fanny, Valdir, defendeu um pênalti, aos 45” minutos desta etapa, garantindo a vitória do Fanny, por 4x2.
O Vila Fanny jogou com Valdir; Ary, Cid, Ozires e Caia, Almeida e Naldinho, Marinho e Rubico, Milton e Badé. Ainda: Baiano, Mauro, Mineiro e Genival. Técnico: Adilson Mendes, auxiliado por Palhano, Toni, Franco e diretor de futebol, Hélio.
O São Carlos atuou com China; Luizinho, Professor, Mauro e Sidney, Carlos e Joaquim, Carlinhos e Nando, Laco e Abatia. Ainda: Salomão, Pelé, Aramis, Leandro e Assis. Técnico: Alertes.
Arbitragem: Cristiano Cruz, auxiliado por José de Oliveira e Murilo Rodrigues. Representante: Tabata Branco.

Outros resultados
Flamengo 2x0 União Nova Orleans
União Ahú 0x2 Capão Raso
Sant Trindade 2x4 Vila Hauer
Araucária 2x2 Botafogo
Grêmio Paranaense 1x1 Iguaçu
Bairro Alto 5x1 GPO Paraná
GR Ipiranga 0x3 Zezitos
Vasco da Gama 2x2 Caxias

Classificação
1º Flamengo: 16 pontos
2º Bairro Alto: 12 pontos
3º Vasco da Gama e Vila Fanny: 11 pontos
5º Capão Raso e Zezitos: 10 pontos
7º Grêmio Paranaense e Caxias: 08 pontos
9º Nova Orleans e São Carlos: 07 pontos
11º Vila Hauer: 06 pontos
12º Botafogo, Araucária e Grêmio Ipiranga: 05 pontos
15º União Ahu e Grupo Paraná Olímpico: 03 pontos
17º Santíssima Trindade: 02 pontos
18º Iguaçu: 01 ponto

Partidas do Vila Fanny
10/04/10 – 4x4 com o Santíssima Trindade, em casa
17/04/10 – 3x2 no Araucária, fora de casa
01/05/10 – 0x2 para o Vasco da Gama, em casa
08/05/10 – 2x1 no União Ahu, fora de casa
15/05/10 – 2x2 no Grêmio Paranaense, em casa
22/05/10 – 4x2 no São Carlos, fora de casa
04/06/10 – Vila Hauer, fora de casa
12/06/10 – Nova Orleans, em casa
19/06/10 – Bairro Alto, em casa
27/06/10 – Caxias, fora de casa
10/07/10 – Grêmio Ipiranga, fora de casa
17/07/10 – Capão Raso, em casa
24/07/10 – G.O. Paranaense, fora de casa
31/07/10 – Flamengo, fora de casa
07/08/10 – Zezitos, em casa
14/08/10 – Iguaçu, fora de casa
21/08/10 – Botafogo, em casa

Fotos e texto de Osmar Rebolo Junior

Vila Fanny goleou em Santa Felicidade







São Carlos tentou uma reação no final








Comissão técnica do Vila Fanny: Franco, Hélio, Toni, Palhano, Adilson















Treinador Adilson Mendes















Valdir defendeu esta penalidade no final do jogo















Naldinho é o artilheiro do time com cinco gols













Almeida disputa bola com o adversário













Marinho fez três gols no sábado













Representante Tabata